Saiba diferenciar resíduos para aplicar um PGRS

Mas o que é o PGRS?

O PGRS – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos  é um arquivo que identifica o tipo e a quantidade de cada resíduo gerado por determinada empresa ou instituição. Assim ele aponta as melhores alternativas para manejo, possível tratamento e  além de uma disposição final do mesmo.  

Quais são os tipos resíduos?

Afim de estebelecer um PGRS em seu estabelecimento, é essencial possuir conhecimento acerca do que são resíduos e sua classificação de acordo com a ABNT:

Resíduos sólidos: materiais ou substâncias descartadas, que possam ser reutilizados ou reciclados e que tenha valor econômico.

Rejeito: resíduos sólidos que depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação, sendo a única alternativa possível a disposição final.

Resíduos Classe I (perigosos): são aqueles que possam apresentar risco a saúde pública e/ou ao meio ambiente. Uma vez que possui como características: a inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxidade e patogenicidade;

Resíduos Classe II A (não-inertes): podem apresentar propriedades como biodegrabilidade, combustibilidade ou solubilidade em água;

Resíduos Classe II B (inertes): são quaisquer resíduos que quando amostrados de forma representativa, não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações superiores aos padrões de potabilidade de água. Assim executa-se os seguintes aspectos: cor, turbidez, dureza e sabor;

Resíduos Classe C (radiativos): deverão obedecer às exigências definidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN);

Resíduos Classe D (comuns): que não se enquadram nos grupos supracitados.

Após ter os resíduos reconhecidos e identificados, é hora de estabelecer diretrizes e metas e então colocar o plano em prática!

Porque fazer?

O PGRS tornou-se obrigatório à todos aqueles que gerassem uma quantidade significativa de resíduos sólidos. Isso veio a partir da homologação da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei Federal nº 12.305/2010) . Sendo eles: geradores de resíduos de saneamento básico, resíduos industriais, de serviços de saúde, de mineração, resíduos considerados perigosos, empresas de construção civil, de serviços de transporte ou de atividades agrossilvopastoris. A mesma estabelece que os resíduos devem ser previstos, reduzidos, reutilizados e reciclados ou enviados à aterros sanitários. Em caso de descumprimento da lei, os donos dos estabelecimentos comerciais responsáveis podem ser multados em até R$2.000.000,00. A ConsultEQ tem vasta experiência sobre a aplicação do PGRS além de professores especialistas na área e equipe engajada. Entre em contato conosco!

Escrito por: Clara Couto

 

 

Call to action